Pular para o conteúdo principal

Documentos, dinheiro, cartões: tudo o que você precisa para o seu mochilão na Europa

Reservas de hotéis, seguro saúde, passagens
aéreas, cartões, dinheiro: quase tudo pronto!
Começou a bater um frio na barriga com a proximidade da viagem!

A menos de 15 dias do embarque, e com tudo praticamente comprado (hospedagens, passagens de avião, trem e ônibus, tickets de festas e museus), o que nos resta agora é imprimir toda essa papelada, guardar os euros e separar as roupas e documentos!

Então, meu post de hoje vai ser pra falar um pouco sobre essa parte burocrática, digamos assim, que envolve uma trip para a Europa!

Documentos

Para entrar na Europa, basta ter um passaporte válido, não sendo necessário o visto, graças a um acordo firmado entre o Brasil e a União Europeia. Além disso, por meio de um outro acordo, o Tratado de Schengen, é permitida a livre circulação de pessoas entre os países que fazem parte do documento, sem a necessidade de apresentação de passaporte nas fronteiras. Assim, se você fizer sua primeira parada na Bélgica e, depois, for para Paris, por exemplo, não há a necessidade de passar por uma nova imigração. Porém, a prova de identidade é o seu passaporte, ou seja, esteja com ele sempre à mão!

Uma informação importante: Uma alteração nas disposições das Instruções Consulares Comuns tornou obrigatório aos turistas um seguro viagem no valor mínimo de 30 mil euros que garanta assistência médica em caso de doença ou acidente. Esse seguro pode ser feito por corretoras ou, em alguns casos, por administradoras de cartões de crédito (entre em contato com a sua para verificar essa possibilidade). Eu fiz o meu pela Porto Seguro, ao custo de R$ 198 (para um mês).

Estou tirando cópia de todos os meus documentos (passaporte, RG, CPF, CNH, cartões), além de deixar também na nuvem, para o caso de perder os papéis. E também imprimi todos os tickets e vouchers (é papel que não acaba mais!).

Dinheiro

Com exceção de Praga e Budapeste, os outros países que vou passar possuem o Euro como moeda oficial. Feito o planejamento de gastos, decidi comprar uma parte desse dinheiro em cash e uma outra parte em cartão pré-pago, pela operadora Cash Passport. Levarei um cartão de crédito apenas como segurança.

Esses cartões pré-pagos podem ser comprados nas casas de câmbio e nos bancos (bancos costumam ter cotações mais baixas). Vi muitos comentários pela net de que os cartões do Banco do Brasil, por exemplo, vêm sem chip, e, na hora de tirar dinheiro nos caixas eletrônicos, a máquina costuma "engolir" o cartão. Fiquei receosa disso e preferi comprar numa casa de câmbio mesmo!

O cartão pré-pago, conhecido como Travel Money, funciona assim: você insere uma quantidade de dinheiro, em reais, que são convertidos para a moeda desejada, no caso o euro. Daí, você passa a gastar como um cartão de débito, e pode também sacar, a uma taxa de 2 euros por operação, se não me engano. Se estiver em um país com moeda diferente do euro, a compra é convertida para a moeda do país, no momento do débito. Caso precise colocar mais dinheiro no cartão, isso pode ser feito pelos sites de cada operadora, em um espaço onde você acompanha sua conta, e também diretamente na casa de câmbio onde foi feita a compra do cartão.

Update: Até 2013, a vantagem desse cartão era o fato dele possuir uma taxa menor de IOF, de 0,38%. Porém, desde o início de 2014, as taxas se igualaram às dos cartões de crédito, que giram em torno de 6%. Assim, a vantagem em adquirir um Travel Money, a partir de agora, é o controle dos gastos e uma segurança em caso de roubos e perdas, pois, como sabemos, não é seguro andar com muito dinheiro na mala, na bolsa, ou até mesmo deixar nos hostels/hotéis.

No caso das notas, também podem ser compradas nas casas de câmbio ou nos bancos. Eu dei a sorte de comprar com uma taxa menor, de um amigo que tinha alguns euros por um trabalho realizado na Europa. Em Praga e Budapeste, precisarei trocar algumas dessas notas pelas moedas de cada país, nas casas de câmbio. Fiquei sabendo que nas estações de trem há algumas, mas conto depois, com detalhes, como foi esse processo.

Update - Reportando minha experiência com a troca de euros pela moeda do país:

A compra das notas pode ser feita nas casas de câmbio presentes em algumas estações de trem/terminais de ônibus maiores e em outras espalhadas pela cidade. Também é possível fazer a troca a partir do cartão pré-pago, nos caixas eletrônicos. Você escolhe quanto quer retirar e o valor é convertido para a moeda do país. Essa segunda opção fica mais em conta, pois, normalmente, as casas de câmbio cobram uma taxa para fazer essa troca.

Em Praga, eu fiz uma primeira troca ainda na estação de trem, em um caixa eletrônico. Mas no outro dia percebi que iria precisar de mais dinheiro, e fiz mais uma retirada, também em um caixa eletrônico, localizado na praça principal da cidade. Em Budapeste, fiz a troca em um caixa eletrônico que havia no terminal de ônibus.

Tickets das atrações

Li em vários lugares pela net que as filas em muitas atrações e museus são intermináveis, como é o caso da Torre Eiffel. Por isso, resolvi antecipar a compra de alguns tickets, pois assim tenho entrada prioritária, pulando a fila, e também garanto um descontinho!

Comprei com antecedência:

Torre Eiffel, em Paris;
Anne Frank House, em Amsterdam;
Heineken Experience, em Amsterdam;
Balada do David Guetta, em Ibiza, no clube Ushuaia (aqui foi mais para garantir o valor inicial de venda).


Update - Reportando minha experiência com a compra antecipada de ingressos:

Experiência fail! rs... Acabei não utilizando nenhum dos ingressos que comprei antecipado!

Não fui pro clube Ushuaia, em Ibiza, no dia em que o David Guetta tocaria, porque preferi seguir meus amigos para outra balada. Em Amsterdam, acabei não utilizando o ingresso para entrada preferencial na Heineken Experience, pois tive que ficar na fila para esperar meus amigos comprarem os convites deles. E também não consegui fazer a visita ao Anne Frank House, pois comprei o ingresso para às 9 horas da manhã e não cheguei a tempo. Aliás, quando cheguei, de fato a fila era enorme! E, em Paris, não dei conta de esperar a hora de subir na Torre Eiffel, pois compramos as entradas para às 23h do dia em que chegamos à cidade, e eu estava morta de cansada muito antes disso!

Particularmente falando, minha dica é: não compre ingressos antecipados! Percebi que ali, na hora, várias coisas acontecem e fazem com que, sem querer, você mude seus planos.


Tópicos relacionados:

Hospedagem na Europa
Dicas para comprar sua passagem aérea



Comentários

  1. Dani... eu nadei nessa fonte ai de Paris, o pessoal entra de biquini ou de calcinha e sutiã mesmo. Muito gelada, mas pro calor que tava, valeu a pena... Ps: eju entrei de vestido... beijocas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mônica! Choquei!! hahahahaha! Mais uma aventura pra viver então!

      Excluir
  2. mtoo legal seu blog! :)

    ResponderExcluir
  3. bom dia tudo bem? uma pergunta, pra entrar no tomorrowland, vc teve que apresentar o passaporte original? ou pode ser copia? obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Eles não pedem o passaporte na hora de entrar! Mas, por experiência própria, é melhor levar só a cópia, e isso serve pra todos os momentos da sua trip! Não ande com o seu passaporte pra cima e para baixo, pois é perigoso! Guarde ele num local seguro no seu hotel/hostel e ande sempre com uma cópia! :)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tomorrowland Bélgica: um guia de como chegar lá!

* Este post é atualizado conforme novas informações sobre o Tomorrowland Bélgica - Última atualização: 01/08/2018 ) Tomorrowland Bélgica 2018 A 14ª  edição do Tomorrowland Bélgica foi realizada em dois finais de semana, entre os dias  20 e 22 de julho, e entre os dias 27 e 29 de julho . No ano de 2013, eu tive a oportunidade de participar desse mundo mágico chamado Tomorrowland e, quando voltei, decidi escrever um post explicando em detalhes como fazer parte do sonho. A cada ano, desde então, atualizo as informações aqui na página, uma vez que várias novidades são inseridas no festival ano após ano. A partir daqui, entre no mundo Tomorrowland e saiba, em detalhes: quanto custa ir para o Tomorrowland, os tipos de ingressos e pacotes, acomodações oferecidas, formas de retirada dos vouchers, como chegar e sair do festival, como funciona o camping (DreamVille) e muito mais! O que é o Tomorrowland O Tomorrowland é um festival de música eletrônica que acontec

Tomorrowland Brasil: O mundo mágico ganha um novo capítulo!

Como será em 2016 A 2ª  edição do Tomorrowland Brasil será realizada nos dias  21, 22 e 23 de abril . A produção do evento irá divulgar mais informações a partir de janeiro/2016. Enquanto isso, veja aqui informações sobre como foi a edição 2015! :) E o que, até então, era boato se tornou realidade! O Brasil sediará uma edição do Tomorrowland, entre os dias 1, 2 e 3 de maio de 2015 . O evento será realizado no interior de São Paulo, em Itu, com o tema Book of Wisdom (Livro da Sabedoria) . A expectativa de público, segundo a ID&T, produtora do evento, é de 60 mil pessoas. Serão seis palcos e cerca de 150 atrações, como David Guetta, Steve Aoki, Avicii, Fatboy Slim, entre outros. Assim como o Tomorrowland realizado na Bélgica, o Tomorrowland Brasil ofertará ingressos para os três dias juntos e para dias separados, assim como os pacotes de Global Journey e o famoso DreamVille, uma área de camping anexa ao festival. Idade mínima: 18 anos completados at