Pular para o conteúdo principal

Praga, República Tcheca: Era uma vez um rio chamado Vltalva

A primeira vez em que estive em Praga foi no verão de 2013, como parte da minha Eurotrip e da primeira viagem internacional da minha vida! Foram 10 países, e Praga era uma das cidades mais esperadas do roteiro! Chegamos ao hostel, largamos as malas e partimos para uma das atrações mais conhecidas, o Orloj, um relógio astronômico medieval localizado na Old Town Square.

Minha primeira impressão? Um grupo tocando música celta no meio da praça, com roupas super diferentes, uma alegria diferente, e eu, sentada no chão, de shortinho, chinelo, bem à vontade naquele calor de 30 graus, me sentindo parte de um filme ambientado em outro milênio! A energia daquele momento me contaminou de tal forma que eu tinha certeza de que meus dias em Praga seriam inesquecíveis! E minha impressão inicial não me decepcionou! Não à toa, deixei a cidade naquele verão com a certeza de que um dia eu voltaria, de preferência durante o inverno, pra captar outra nuance da bela Praga…

Verão de 2013

Dezembro de 2014, recesso de Natal e Ano Novo chegando e a missão de decidir onde passar aquela tão desejada semaninha! Após descartar Bélgica, Holanda, Portugal, lá estava eu, mais uma vez, colocando Praga no meu roteiro. Começamos a saga de procurar um lugar barato pra ficar. E, na condição de mochileira trabalhando com voluntariado, qualquer hostel de 40 euros a diária se torna um absurdo, concordam?! Pois bem, recorri ao Couchsurfing e depois de muita procura – ninguém estava muito a fim de ser host durante o feriado do Ano Novo – encontrei um perfil com o nome Todd’s Place.

Li a descrição do perfil de Todd, as condições de hospedagem e alguns avisos como “pretendo receber 100 pessoas na minha casa neste final de ano” e “prepare-se para dormir no chão, ou não ter onde dormir”, seguidos de “mas você é mais do que bem-vindo à minha casa!”, e acho que foi aí que Todd’s Place me ganhou! Enviei minha solicitação, explicando que aquilo era exatamente o que eu procurava, conhecer gente do mundo todo, encontrar companhia para passear pela cidade e, por que não, passar uns perrengues.

Às cinco da manhã do dia 30 de dezembro, cheguei a Praga, com a temperatura em torno de 5 graus negativos, morrendo de frio, mas feliz por estar ali em pleno inverno, com neve e tudo! Segui meu caminho e, após um metrô, uma caminhada de 10 minutos e um ônibus, lá estava eu, à porta de Todd’s Place. Com uma lanterninha daquelas presas na cabeça, ele me mostrou o cômodo das meninas, onde, naquele momento, era impossível ficar. E eu decidi que o melhor local era a cozinha mesmo! Abri um colchão, coloquei meu pijama, deitei e, quando abri os olhos, já eram umas 10 da manhã, e gente de todo tipo passeava pela cozinha/quarto.

Na minha primeira passagem por Praga, em 2013, os dias foram bem etílicos, com direito a pubs, clubes e balada no barco, navegando pelo rio Vltava, que corta a cidade. Afinal, era verão, era Eurotrip, e a gente queria mesmo era só bater perna, sem muito compromisso, sentar nos bares em frente ao relógio, observar o vai-e-vem das pessoas, curtir um Pub Crawl e conhecer o clube mais famoso da Europa – Karlovy Lazne. Nessa segunda visita, com sete dias para aproveitar, minha atenção estava mais voltada para o check list dos monumentos históricos e para o dia a dia com meus companheiros de Couchsurfing.

Vista da cidade pelo Castelo de Praga

Paralelo ao roteiro turístico, nossa estadia com Todd e seus hóspedes foi, sem dúvida, o ponto alto da viagem! Fora a virada do ano, acompanhada de 30 pessoas pelas ruas da cidade, curtindo a queima de fogos, com a vista para a Charles Bridge, brindando com garrafas de vinho, de cerveja e de whisky, passamos por momentos divertidos e de pura cultura dentro daquela casa. E se eu pudesse dar uma dica para os mochileiros e viajantes que nos leem, seria: corra esse mundo e permita-se viver, permita-se conhecer, permita que pessoas boas entrem na sua vida e que o desconhecido tome conta da sua rotina. No fim das contas, todo perrengue vale a pena, e aquele medinho inicial se transforma em boas histórias, bons amigos e a certeza de que esse mundão pode ser todo nosso!

Um pouco de tudo o que vi:

Wenceslas Square, centro comercial de Praga, onde, por uma larga avenida, espalham-se lojas, cafés, restaurantes, hotéis e, em uma das pontas, o National Museum, infelizmente fechado para público no momento, pois está em reforma. Fomos até lá para encontrar uma amiga tcheca, que também fez voluntariado na nossa comunidade. Praga estava coberta de neve nesse dia, e foi muito lindo observar as estátuas branquinhas, e as barraquinhas do Christmas Market no meio da praça.

Orloj, o famoso relógio astronômico medieval. Enfrentamos uma fila de uma hora e, já à noite, tivemos a vista mais linda de uma Praga toda iluminada. De cima da torre do relógio, é possível avistar a ponte Charles, o Castelo de Praga e ter uma vista panorâmica da Old Square, tomada por mais um Christmas Market (já falei que amo esses mercadinhos de Natal?). Valeu cada minuto naquela fila.

Dancing House, um prédio comercial construído entre 1992 e 1996. Possui um formato curvado, dando a impressão de estar em movimento, dançando! Daí o nome! É um contraste da arte moderna em meio à arquitetura histórica da cidade, e fica de frente para o rio Vltalva.

Dancing House!

Castelo de Praga, o ponto mais famoso da cidade e que, atualmente, serve como residência oficial do presidente. A visita pode tomar um dia inteiro, pois integra um complexo de várias construções góticas, como a Catedral de S. Vito, o Convento de São Jorge e o Palácio Real do Castelo de Praga. Além disso, há várias ruelas charmosas ao redor das construções, com casinhas coloridas, que valem o passeio!

Charles Bridge, a ponte mais charmosa de Praga. Vale uma caminhada com calma, observando as estátuas, e o ar misterioso que elas compõem, junto com o céu, a lua…

Letenské Sady, que, em tcheco, quer dizer parque de verão. Localizado do mesmo lado da cidade onde fica o Castelo de Praga, é um parque amplo, com várias árvores, ideal para passar o tempo durante, bom… o verão, claro! E, apesar do frio, nossa visita por lá valeu a pena simplesmente pela vista que captamos das pontes e do rio Vltava. Coisa de cartão postal, gente!

Vista do rio Vltalva e suas pontes a partir do parque Letenské Sady

E o meu favorito: Vyšehrad, uma fortaleza que serviu como moradia de príncipes do passado, e está localizada no alto de um cume, do lado oposto à Old Town Square. Destino não tão comum dos turistas, o local possui uma bela vista do rio Vltalva e passa uma energia de paz e tranquilidade que me fez querer ficar lá pra sempre, mesmo com o frio.


Outros links que podem te ajudar:

- Também tem dúvidas sobre como fazer reservas nos hotéis? Dá uma olhadinha nesse link! :)
- Precisando de dicas sobre passagens aéreas, trens, ônibus? Vem pra cá!! :)
- Passaporte, dinheiro, cartão de crédito: um pouco de tudo isso nesse link! :)




Texto originalmente publicado no blog O Nome Disso é Mundo, em que participo como colaboradora.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tomorrowland Bélgica: um guia de como chegar lá!

* Este post é atualizado conforme novas informações sobre o Tomorrowland Bélgica - Última atualização: 01/08/2018 ) Tomorrowland Bélgica 2018 A 14ª  edição do Tomorrowland Bélgica foi realizada em dois finais de semana, entre os dias  20 e 22 de julho, e entre os dias 27 e 29 de julho . No ano de 2013, eu tive a oportunidade de participar desse mundo mágico chamado Tomorrowland e, quando voltei, decidi escrever um post explicando em detalhes como fazer parte do sonho. A cada ano, desde então, atualizo as informações aqui na página, uma vez que várias novidades são inseridas no festival ano após ano. A partir daqui, entre no mundo Tomorrowland e saiba, em detalhes: quanto custa ir para o Tomorrowland, os tipos de ingressos e pacotes, acomodações oferecidas, formas de retirada dos vouchers, como chegar e sair do festival, como funciona o camping (DreamVille) e muito mais! O que é o Tomorrowland O Tomorrowland é um festival de música eletrônica que acontec

Tomorrowland Brasil: O mundo mágico ganha um novo capítulo!

Como será em 2016 A 2ª  edição do Tomorrowland Brasil será realizada nos dias  21, 22 e 23 de abril . A produção do evento irá divulgar mais informações a partir de janeiro/2016. Enquanto isso, veja aqui informações sobre como foi a edição 2015! :) E o que, até então, era boato se tornou realidade! O Brasil sediará uma edição do Tomorrowland, entre os dias 1, 2 e 3 de maio de 2015 . O evento será realizado no interior de São Paulo, em Itu, com o tema Book of Wisdom (Livro da Sabedoria) . A expectativa de público, segundo a ID&T, produtora do evento, é de 60 mil pessoas. Serão seis palcos e cerca de 150 atrações, como David Guetta, Steve Aoki, Avicii, Fatboy Slim, entre outros. Assim como o Tomorrowland realizado na Bélgica, o Tomorrowland Brasil ofertará ingressos para os três dias juntos e para dias separados, assim como os pacotes de Global Journey e o famoso DreamVille, uma área de camping anexa ao festival. Idade mínima: 18 anos completados at

Documentos, dinheiro, cartões: tudo o que você precisa para o seu mochilão na Europa

Reservas de hotéis, seguro saúde, passagens aéreas, cartões, dinheiro: quase tudo pronto! Começou a bater um frio na barriga com a proximidade da viagem! A menos de 15 dias do embarque, e com tudo praticamente comprado (hospedagens, passagens de avião, trem e ônibus, tickets de festas e museus), o que nos resta agora é imprimir toda essa papelada, guardar os euros e separar as roupas e documentos! Então, meu post de hoje vai ser pra falar um pouco sobre essa parte burocrática, digamos assim, que envolve uma trip para a Europa! Documentos Para entrar na Europa, basta ter um passaporte válido , não sendo necessário o visto, graças a um acordo  firmado entre o Brasil e a União Europeia. Além disso, por meio de um outro acordo, o Tratado de Schengen , é permitida a livre circulação de pessoas entre os países que fazem parte do documento, sem a necessidade de apresentação de passaporte nas fronteiras. Assim, se você fizer sua primeira parada na Bélgica e, depois, for para